Zoe, Escola Internacional de Penamacor, Alternative International Small School, Central Portugal

So, it is not often that I write a post here now. We have delegated and divided workloads so that it has not been my role to write the blog for a long time now. This one is personal though, and so I find myself back on the site and looking back over all the photos and posts from the last two years. I started this project two years ago with a small group of home educating parents. It was about protection. Protection for us to allow our children to be free from tests, exams, and pressure.

This led me down the path of registering as an International school. This would allow us to work with a different kind of curriculum, at the children’s pace, and without pressure. Since making that decision in June 2016 it has been a roller coaster of a journey. In less than three months we opened as an explicações centre with six children. The following September we opened as an International school in our own right. Now we will end our first year with 30 children. For a rural town in the middle of Portugal this is no mean feat!

Families are coming from all over the world to attend the school. We are growing and changing all the time. I have loved this last two years; however, it has been immensely challenging. Being the Director of what is now a fully-fledged International school with children arriving all the time, means that for the last year I have worked harder than I ever have done before. Administration, reports, planning, and preparing have taken over my every waking moment. Time for growing veg, reading my children bedtime stories, or caring for my home, has been spent on growing and caring for the school alone.

Now that we are established, and thriving, I feel that it is time to allow my own family to have me back a bit. As of September, I will be stepping down from the Direction of the school. I will continue to offer support. However, someone else will take over the administration and Direction role. I will be taking some time out each year to go and support other projects to get off the ground. I will also be speaking at conferences, and seminars about our approaches at the school and providing a consultancy service for those projects and schools trying to get off the ground. We are now in the position to help support struggling parents in Countries like Greece, Italy, and Spain to allow their children to also be free from the pressure of tests and exams.

Paul Large will be taking over the Direction of the School in September and he comes with a wealth of valuable experience and expertise within the International circuit. He will continue to allow the school to grow and develop based on the needs of the children.

I know the school will continue to thrive and we can use this as an opportunity to not only support families here in Penamacor, but also all over Europe. I want to say a massive thank you for all the support that I have received in setting the school up here and that I will continue to fight for the rights of children to be allowed to be children, both here and in other countries. You will still see me around, however it will be someone else passionately talking at the parents meetings and events.

Light and love to all, Zoe.

Ultimamente não costumo escrever aqui. Delegámos e dividimos tarefas de trabalho e por isso não tem sido minha função escrever no blog já há algum tempo. Contudo este é pessoal, e dou por mim em volta do site a olhar para todas as fotos e posts dos últimos dois anos. Comecei este projeto há dois anos com um pequeno grupo de pais que faziam ensino doméstico com os seus filhos, porque criam protegê-los e livrá-los dos testes, exames e pressões.

Então aí registei o projeto como uma escola internacional, porque isso permitir-nos-ia trabalhar com um tipo diferente de currículo, no ritmo de cada criança e sem pressão. Desde que tomei essa decisão, em junho de 2016, o meu dia-a-dia tem sido uma montanha-russa. Em menos de três meses abrimos como um centro de explicações com seis crianças. No mês de setembro seguinte, abrimos como uma escola internacional por nossa conta, sem qualquer apoio do estado. Agora vamos terminar o nosso primeiro ano com 30 crianças. Para uma vila rural no interior de Portugal isto não é tarefa fácil!

Muitas famílias estão vindo de todo o mundo para frequentar a nossa escola. Estamos crescendo e mudando a todo o momento. Eu amei estes últimos dois anos, no entanto, tem sido imensamente desafiador. Ser diretora do que é, agora e oficial, uma escola internacional, com crianças que chegam a qualquer momento, é sinónimo de que no ano passado trabalhei mais arduamente do que alguma vez já tinha feito. Administração, relatórios, planeamento e preparação tomaram conta de todo o meu tempo. O tempo que tinha para cultivar vegetais, ler histórias aos meus filhos antes de dormirem, ou cuidar de minha casa, foi aplicado para “cultivar” e cuidar da escola.

Agora que estamos estabelecidos e prosperando, sinto que é hora de me dedicar um pouco à minha própria família. A partir de setembro, estarei saindo da direção da escola. Continuarei a envolver-me, a oferecer apoio e a ensinar. No entanto, outra pessoa assumirá a função de administração e direção. Eu dedicarei algum tempo para apoiar outros projetos a nascer. Também estarei dando algumas conferências e seminários sobre as nossas abordagens na escola e prestando um serviço de consultoria para projetos e escolas que tentam emergir. Estamos agora em condições de ajudar e apoiar os pais em dificuldades em países como Grécia, Itália e Espanha para conseguirem que os seus filhos também fiquem livres da pressão de testes e exames.

Paul Large irá assumir a direção da escola em setembro. Ele tem uma larga e valiosa experiência e conhecimento no circuito internacional. Ele continuará a permitir que a escola cresça e se desenvolva com base nas necessidades das crianças.

Sei que a escola continuará a prosperar e podemos usar isto como uma oportunidade para, não só, apoiar as famílias aqui em Penamacor, mas também em toda a Europa. Quero agradecer imensamente todo o apoio que recebemos ao estabelecer a escola aqui e continuarei a lutar pelos direitos das crianças, tanto aqui como noutros países. Vão continuar a ter-me por perto, no entanto, andarei por aí conversando apaixonadamente em reuniões e eventos dos pais.

Luz e amor para todos, Zoe.